Geral

Facebook destaca suas contribuições para a IA em 2018


Conforme compartilhado por Nick Lovrien, o diretor de segurança global do Facebook, no mundo do Facebook, “um dia é uma semana, uma semana é um mês, um mês é um ano”.

O que ele quer dizer com essas palavras é que o desenvolvimento no Facebook se move rapidamente. O Facebook colocou a Inteligência Artificial (IA) em uso para uma infinidade de aplicativos.

Desde proteger Mark Zuckerberg até conectar-se às suas ondas cerebrais e identificar pornografia ou manter seus funcionários seguros, o Facebook é um dos muitos conglomerados que fizeram de tudo para abraçar as possibilidades da IA ​​e apresentar inovações na área.

2018 foi um grande ano para o Facebook, onde contribuiu para o mundo da Inteligência Artificial de forma significativa e de várias maneiras. O Facebook sempre enfatizou a importância do aprendizado da Inteligência Artificial, assim como os humanos, para aproximar as pessoas.

Essa crença fundamental levou o Facebook a inspirar seus engenheiros a fim de criar algumas ferramentas de ponta e desenvolver um sistema que pode aprender por meio de dados do mundo real.

O grupo Facebook AI Research (FAIR) visa desenvolver sistemas que possuam a inteligência de humanos. Embora esse marco precise de anos de trabalho, 2018 foi um bom esforço nessa direção, pois o Facebook explorou uma série de abordagens para restringir a necessidade de aprendizagem supervisionada por sistemas.

Nesse aspecto, o Facebook também tentou demonstrar projetos que destacaram como poderia ser benéfico para nós ter sistemas aprendendo a partir de dados semissupervisionados e não supervisionados.

Outra maneira pela qual esse gigante das redes sociais contribuiu para a IA foi através de seu trabalho para aumentar o número de idiomas que poderiam ser entendidos ou traduzidos por seus sistemas.

Introduziu uma nova técnica em que seus sistemas poderiam ser treinados em tradução automática usando modelos de MT sem qualquer supervisão.

Graças a essa pesquisa, o Facebook foi capaz de adicionar 24 idiomas adicionais aos seus serviços de tradução automática em 2018.

O Facebook também introduziu algo chamado aprendizado supervisionado omni no ano passado, que era uma variação distinta da supervisão de dados.

Além disso, a empresa também se dedicou a um estudo sobre reconhecimento de imagem baseado em hashtag, utilizando hashtags do Instagram postadas por usuários para sua pesquisa de reconhecimento de imagem de IA.

Os resultados do estudo provaram que a utilização de inúmeros pontos de dados pode potencialmente ajudar em tarefas baseadas em imagens. Também esclareceu como as hashtags podem ajudar muito os sistemas de visão computacional a reconhecer os elementos adicionais, bem como as subcategorias de uma imagem.

Além disso, o Facebook também atualizou sua popular estrutura de aprendizado profundo PyTorch, que agora fornece suporte adicional para novos desenvolvedores e os ajuda a transformar seus experimentos de IA em aplicativos prontos para produção.

A empresa também implementou recursos baseados em IA para identificar idiomas em mensagens que expressam pensamentos suicidas.

O gigante da mídia social também marcou sua presença na pesquisa médica por meio do desenvolvimento do fastMRI, um esforço para aprimorar a tecnologia de diagnóstico por imagem e agilizar os exames de ressonância magnética.

A Inteligência Artificial basicamente permeou todos os domínios, setores e organizações hoje. O trabalho do Facebook na área de Inteligência Artificial tem sido exemplar e tem grandes planos para 2019.


Assista o vídeo: Backlinks e SEO: Como Conquistar Tráfego Qualificado (Junho 2021).